Palestrante

Dicas de como melhorar seu marketing pessoal

Posso lhe contar uma história? Prometo que não vou demorar.

É sobre o Marcelo, um amigão meu que quer porque quer ser promovido, mas não consegue. O pior é que acompanho a trajetória dele há um bom tempo, fomos colegas no ensino médio, estava na turma dele na graduação e o cara é fera mesmo! Ele ganhou um prêmio por um projeto de inovação na universidade e fez uma redação que o levou para Londres! Ele fala quatro idiomas, sabe se comunicar, é proativo, veste a camisa da empresa, é o primeiro a estar no escritório e o último a sair. Os clientes adoram ele e, os chefes, também. Só que…
Bem, aposto que até você gostou do Marcelo e percebeu que ele é um profissional competente e merece um aumento. Mas o Celo tem um problema que o impede de conquistar o que ele quer. O cara simplesmente não sabe se autopromover. Sim, isso mesmo. Os chefes dele nem imaginam que ele é tudo isso e, no fim, passam as oportunidades para outros colaboradores da empresa.
Eu até conversei com meu amigo sobre isso, falei que está na hora de se valorizar, se impor e contar para as outras pessoas o que já fez, mas ele disse que tem medo que o achem um tanto arrogante e “metido”.

Percebi que isso acontece não só com o Marcelo, mas com muitos outros colegas e, confesso que até comigo em muitos casos. Mas como fazer um bom marketing pessoal sem parecer prepotente? Lembrei de um artigo publicado no portal Admnistradores e selecionei algumas dicas para enviar ao Marcelo e a quem mais esteja com o mesmo problema.

Não basta apenas dar o seu melhor na empresa.

É preciso que as pessoas saibam o que você faz e que você seja conhecido por algum ponto específico. Também é importante ter um bom relacionamento com os colegas, já que, se você entende muito sobre determinado assunto e eles souberem disso, vão indicá-lo para outras tarefas. Esteja sempre disposto a aprender e a ajudar; elogie seus colegas, esteja sempre ao lado deles e ajude sua equipe a ter uma boa imagem.

Converse sobre os projetos que você está desenvolvendo no momento.

Peça ajuda se necessário, troque uma ideia com seus amigos e mostre-se entusiasmado com o progresso que está fazendo.

Voltando ao Marcelo, ele sempre foi criativo e muito curioso.

Nunca teve medo de inovar, fazer cursos sobre outras áreas, viajar e assumir outras responsabilidades. E o mais legal é que as pessoas percebem isso. Quando abrimos nosso campo de visão, as possibilidades dobram, ficamos mais produtivos e os chefes percebem.

Conheça a si mesmo.

Quando você sabe quais são seus pontos fortes, falhas e limites, fica mais confiante e pronto para falar sobre si e seu trabalho, se autopromovendo com segurança.

Não tenha medo de falar sobre o que você faz.

Se as pessoas não souberem sobre o seu trabalho, os cursos que têm feito, os lugares que visitou e as experiências profissionais que teve, como você quer conquistar uma vaga melhor?

Lembre-se sempre que a humildade vem em primeiro lugar e que você não sabe tudo. Se disponha a aprender mais e a compartilhar sua bagagem de vida com os demais.
Quando Marcelo leu as dicas, começou a colocá-las em prática no mesmo instante. Lembro de tê-lo encontrado para um café cerca de um mês depois e, para minha surpresa e felicidade, ele havia conquistado a vaga que queria. Seus colegas de trabalho não o viam como um “se achão”, como ele imaginava, pelo contrário, adoravam conversar e aprender com ele. Foi mais uma questão de autoconfiança, de saber o que falar, no melhor momento e para quem falar.
Viu só? Se o Marcelo conseguiu, você também pode melhorar seu marketing pessoal e conquistar voos maiores. O que está esperando para seguir essas dicas? Esperamos poder contar a sua história futuramente. 😉

https://www.eventials.com/software-webinars-capturar-leads/?utm_source=banners-blog-marketing&utm_medium=cpc&utm_campaign=eventials-blog-banner-marketing



Dicas para ser um bom palestrante

Qual é a sua especialidade?

Ou melhor, quero saber qual assunto você domina quando conversa com os amigos em uma mesa de bar, com a família no almoço de domingo ou com os colegas de escritório. Qual é a sua especialidade para essas pessoas?


Alguns são referência quando o assunto é empreendedorismo, outros, para falar sobre política ou gastronomia. Muitos sabem tudo de tecnologia; há aqueles que dão ótimas dicas de moda e decoração. E tem ainda os que falam sobre o que mais gostam em cima de um palco, na frente das câmeras, como palestrantes.


Sim, palestrar sobre algum assunto que desperte seu interesse é mais satisfatório. Como você gosta do tema, fica mais fácil pesquisar sobre ele e compartilhar esse conhecimento com mais pessoas, online ou offline. Fora que você se sentirá mais confiante ao encarar o público e, mais confiante, fará uma boa apresentação.

Ficou interessado e também quer palestrar?

Saiba que essa é apenas uma das características de um bom palestrante. Além de gostar do assunto abordado, ele também precisa estruturar o discurso. É importante organizar o conteúdo em ordem cronológica – com introdução, desenvolvimento e conclusão.

Para iniciar a palestra, use elementos que despertem a atenção do público logo de cara.

Pode ser uma história legal ou uma pergunta que envolva os participantes. Já no desenvolvimento, selecione os pontos que deseja discutir com o público, mas não esqueça de relacioná-los com a introdução. Para concluir, relembre os principais tópicos.

Fale com clareza e pausadamente.

Muitos palestrantes ficam nervosos durante a apresentação, acabam falando mais rápido e sem pausas, o que dificulta a compreensão por parte da plateia.

Portanto, cuidado com isso. Respire, tente se acalmar e treine em casa! Chame os amigos e a família para assistir a uma palestra, assim você terá uma ideia de como será quando for para valer. Não esqueça de filmar a sua apresentação para identificar o que precisa melhorar – má postura e gírias, por exemplo.

E, por falar da má postura, também fique atento ao que seu corpo está falando. Gesticule quando achar importante, ande sobre o palco e demonstre segurança. Ao se movimentar irá atrair o olhar dos participantes e a atenção deles.

Um bom palestrante também sabe como interagir com a plateia.

Se a sua apresentação for online, faça perguntas pelo chat, convide as pessoas para participar, para contribuir com o seu raciocínio. Se for em um palco, use a sua criatividade! Chame voluntários, faça uma dinâmica! Você quer que o público se lembre de como a palestra foi interessante e legal, não que ela foi monótona e deu sono…

Então, vamos colocar essas dicas em prática? Deixe o medo de lado!

Escolha um assunto que você gosta de verdade, crie um roteiro, com uma introdução legal, desenvolvimento e conclusão; treine bastante, cuide de sua postura e use sua criatividade! Você pode começar a palestrar publicando seu vídeo na Eventials. Acesse nosso site e descubra como é fácil! www.eventials.com 

Texto inspirado no artigo publicado pelo portal Universia

Faça apresentações como as do TED em 7 passos

Provavelmente você já assistiu a uma das palestras publicadas no site TED.com. Agora, se ainda não viu e não tem ideia do que estamos falando, por favor, pare tudo o que está fazendo neste exato momento e assista a pelo menos um vídeo.

O TED é uma organização sem fins lucrativos, dedicada para a difusão de ideias e conta com pequenas palestras – geralmente com duração de 18 minutos ou menos. Atualmente os vídeos englobam assuntos como ciência, tecnologia, entretenimento, design e, questões globais, em mais de 100 línguas.

O destaque do projeto fica com formato das apresentações e a credibilidade dos palestrantes. Os brasileiros Miguel Nicolelis, Bel Pesce e Bruno Torturra são alguns dos contribuintes do TED e personalidades como Bill Clinton e Bill Gates também participaram e compartilharam suas ideias e experiências com o público – sem cobrar nada.

De acordo com o artigo publicado pela Revista Época, é possível se basear nas palestras do TED para criar boas apresentações. Confira as dicas apontadas pela revista:

Pense grande:

Tente sempre – independente do número de palestras que for dar – fazer a melhor apresentação de sua vida. Revele ao público alguma informação nova, fazendo-o lembrar sempre do que você apresentou.

Seja verdadeiro:

Durante a apresentação mostre quem você realmente é. Compartilhe suas paixões, sonhos e até seus medos. É importante falar tanto dos seus fracassos quanto dos seus sucessos.

Sem dificuldades:

Evite usar palavras difíceis e expor pensamentos complicados. Simplifique! Faça do assunto complexo, algo fácil de compreender. Como? Conte histórias e explique as situações. Situe o público! Não pense que você precisa impressionar seus telespectadores intelectualmente. Muitas vezes uma apresentação simples, direta, mas com boas informações vale muito mais do que uma cheia de termos técnicos e palavras rebuscadas.

Use a emoção:

Durante sua palestra use exemplos que aproximem o público e que mexam com a emoção de quem estiver assistindo. Não tenha medo de fazer as pessoas rirem, nem de emocioná-las.

Cuidado com o ego:

Quando estiver falando com seu público, não infle seu ego, nem se autopromova. Isso pode afastar as pessoas que estão ali querendo ouvir o que você tem a dizer. Também não venda seus produtos durante a apresentação, ao menos que o tema seja seja esse de fato.

Não leia suas falas:

Não tem coisa pior do que chegar despreparado em uma apresentação, não é mesmo? Portanto, ensaie sua fala diante de um amigo, assim você aprimora a pontualidade, clareza e o impacto de suas palavras. Faça pequenas anotações, mas não leia suas falas. Dessa forma você não compromete sua credibilidade.

Tenha time:

Tenha um bom ritmo. Não prolongue sua palestra, nem termine antes do tempo. É importante acabar na hora certa, nem menos nem mais. No ritmo.

Agora que você já conhece algumas das técnicas usadas nas palestras do TED, o que acha de colocar esse conhecimento em prática? Aqui na Eventials é muito fácil! Acesse nossos site e crie seus webinars com facilidade. 

https://www.eventials.com/sistema-transmissao-de-palestras-online/?utm_source=banners-blog-palestras&utm_medium=banner&utm_campaign=eventials-blog-banner-palestras

 

Sua voz pode indicar se você é uma pessoa poderosa

Descobrimos quem está “no comando” por causa da voz.

Ao menos é o que aponta uma pesquisa publicada pelo periódico Psychological Science. Segundo o estudo, quando estamos em uma posição de poder nosso tom de voz muda e as pessoas percebem isso.

Sei Jin Ko, líder da pesquisa, da San Diego State University, conta que a alteração no tom de voz pode determinar nossas relações, como as de pai e filho, vendedores e consumidores e, até mesmo, as negociações entre chefes de estados.

Quem impulsionou a pesquisa foi ninguém mais do que Margaret Thatcher, a ex-primeira-ministra britânica. Ao saber que a “Dama de Ferro” havia passado por treinamentos vocais para fazer valer a sua autoridade, o psicólogo e sua equipe decidiram explorar como o poder é capaz de alterar a voz das pessoas e se os ouvintes conseguem assimilar essa mudança.

Para chegar ao resultado dois testes foram feitos. Primeiro os pesquisadores convidaram 161 estudantes para lerem passagens – alguns como se fossem chefes inseguros e outros como líderes confiantes. Depois a equipe comparou as gravações e percebeu que as vozes dos “poderosos” eram mais marcantes e monotônicas, como nos treinamentos da “Dama de Ferro”.

Atraia leads qualificados! Teste a Eventials gratuitamente! – Clique aqui

No segundo teste, os estudiosos mostraram as gravações para um grupo de controle. Os participantes listaram quem parecia e quem não parecia ser um líder. Grande parte das respostas estavam corretas. Logo, os ouvintes percebem quem está no comando.

Em um artigo para o site Época Negócios, Sergio Chaia, ex-presidente da Nextel, traz algumas dicas para potencializar o tom de voz após uma consulta com a coach Bernadette O’Brien. Confira:

Converse com sua voz crítica:

Para a a coach de voz, o melhor caminho é rejeitar a voz interior que diz não ser possível ou que não levamos jeito para algo. Ela aconselha a conversar com essa voz crítica. Como? Comece a sentir seus pés bem fixos no chão e aumente a percepção de cada parte do seu corpo. Concentre-se em sua respiração e coloque as mãos sobre o abdome. Depois sacuda todo o corpo, deixando de lado os pensamentos negativos. Isso lhe ajudará a ser mais solto e autêntico e essa autenticidade irá transparecer em sua voz.

Aqueça sua voz!

Faça como alguns cantores antes dos shows, aqueça a sua voz. Em um lugar isolado, grite várias vezes e conheça a potência e o alcance de sua voz. A especialista indica bater de leve no peito, braços, bochechas e garganta, minutos antes de se apresentar.

Livre-se da boca seca:

Ficar com a boca seca geralmente acontece antes de se apresentar e isso significa que você está nervoso. Ao colocar os lados da língua nos dentes de trás, pressionando-a levemente para encorajar a produção de saliva, pode ajudar.

Faça pausas:

Dê uma pausa breve e respire. Elas dão a sensação de que você está construindo a ideia junto com quem está acompanhando a apresentação, o que aumenta o engajamento.

Defina seus objetivos:

Conecte seu tom de voz aos seus objetivos. Defina o que você deseja atingir em cada etapa. Se for falar sobre um novo projeto, aplique um tom mais impactante no começo, aconchegante no meio e decisivo no final. É importante verificar se os tons estão adequados a cada etapa.

Agora que você já percebeu que sua voz é decisiva na hora de fechar um negócio, de conversar com clientes, com o chefe ou para passar a mensagem que realmente deseja, treine e faça dela uma ótima ferramenta de trabalho.

Qual é a importância do vídeo na estratégia do negócio?

Como trabalhar sua capacidade empreendedora?

Você está cansado, trabalha em uma área que não lhe faz feliz e que traz muitos problemas. O trabalho é longe de casa, são muitas horas perdidas no trânsito e você não tem mais tempo para se divertir e ficar com a família. Eis que um estalo surge: se tivesse seu próprio negócio, talvez as coisas melhorassem. Mas o que fazer?

Em qual área investir?

Ou melhor, como identificar a oportunidade? Nossas experiências pessoais e a forma como nos conectamos a elas são o que constituem os fatores fundamentais para o sucesso de um empreendedor. Quanto mais entrarmos em contato com pessoas de outras áreas, maior será a nossa diversidade de experiência. Desta forma estaremos mais propensos a associarmos uma oportunidade a uma situação que vivenciamos e esse conjunto é o que ajuda uma pessoa a identificar uma proposta que faça sentido e que possa ser testada.

Faça webinars e atraia leads mais qualificados! Experimente a Eventials gratuitamente! – Clique Aqui

Como perceber que é o momento certo de empreender?

Um artigo publicado no site da revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, aborda cinco dicas. Confira:

Amplie contatos:

É importante que você amplie seu círculo de contatos, dentro de sua área e fora dela. Conecte-se a pessoas que tenham experiências diferentes, que lhe acrescentem ou complementem.

Reflita sobre o que vivenciou:

Você já parou para pensar em todas as experiências que teve, no que aprendeu com elas e como elas podem lhe capacitar para algo novo? Citando Steve Jobs “Os pontos só se conectam em retrospecto” e, ao olhar para trás, é possível perceber o que é válido para abrir seu negócio.

Elimine os preconceitos:

Você não sabe como vai surgir a inspiração para construir sua empresa, portanto, não seja preconceituoso. Se você não estiver aberto para novas possibilidades, isso pode lhe impedir de aprender com a situação.

Viaje!

Nada melhor do que se inspirar em outros lugares, em outras pessoas, em costumes diferentes. Ao experimentar comidas diferentes e se relacionar com pessoas de lugares diferentes, você pode pensar em montar um restaurante indiano, por exemplo. Ou criar uma coleção de roupas inspiradas em uma região.

Sem complicações!

Pense de forma simples. Ideias poderosas fogem de complicações. São aquelas que o público entende, compartilha e incorpora com facilidade.

 Esperamos que essas dicas te ajudem a tirar sua ideia do papel 😉

Qual é a importância do vídeo na estratégia do negócio?

6 perguntas para se fazer antes de falar em público

Você tem pensado em criar um webinar, fazer uma palestra e entrar em contato com o público? Saiba que essa é uma experiência muito gratificante. Ao mesmo tempo em que você compartilha conhecimento com outras pessoas, aprende mais sobre o assunto que está abordando, sobre quem está assistindo e sobre si mesmo. Descobre como controlar seu nervosismo, seu tom de voz e a se comunicar da melhor forma possível.

Agende seu primeiro treinamento. Experimente a Eventials gratuitamente! – Clique Aqui

Quando você resolve falar sobre um tema que gosta e sobre o que você sabe, acaba saindo da zona de conforto. E não há nada melhor do que se desafiar, tentar e buscar algo novo, fazer o que se gosta. Um artigo no site Administradores aborda que falar em público é falar com o público e essa conversação começa antes da apresentação, já que há questionamentos “invisíveis” que passam na cabeça de quem está acompanhando. E essas perguntas devem ser imaginadas, analisadas e investigadas para serem respondidas previamente.

1 – Se você foi convidado a palestrar ou a fazer uma apresentação em vídeo, por que acha que lhe escolheram?

2 – Dentro do conteúdo dominado, o que a instituição que lhe convidou gostaria que você transmitisse para a plateia?

3 – Quem lhe convidou, ou lhe deu a ideia de fazer uma palestra em vídeo ou presencialmente, é o representante de um grupo? Se sim, como é esse grupo?

4 – Qual é o objetivo da sua apresentação? Como ela acontecerá? Será feita em qual lugar?

5 – Sua apresentação contará com convidados? Se sim, quais são os temas que eles vão abordar no webinar?

6 – Qual é o perfil de sua plateia? Idade, escolaridade, gênero… ?

Quando você usa essas perguntas como base, consegue identificar melhor as características de seu público para fazer uma apresentação voltada para ele.

 Essa pesquisa é importante para definir os objetivos de sua palestra, para a escolha dos argumentos, estruturação do conteúdo e do seu emocional. Dessa forma você estará melhor preparado e estará livre de preocupações, disposto a compartilhar seu conhecimento e evitando possíveis surpresas desagradáveis. Boa sorte! 

Como engajar colaboradores em treinamentos corporativos

Use a linguagem corporal para ter sucesso na profissão

Já sabemos que não existe nenhuma fórmula pronta para obter sucesso na vida profissional. Estudar muito, se dedicar ao máximo, fazer bons contatos e estar sempre atualizado é essencial para se destacar, assim como manter uma boa postura corporal. Sim, isso mesmo! Seu corpo também pode ajudar. No mundo corporativo as entrelinhas têm muito valor e, quando as palavras se tornam aliadas da linguagem corporal, a chance de fechar negócio aumenta.

Os livros A linguagem corporal no trabalho, escrito por Allan e Barbara Pease e Seu corpo fala no trabalho, de Sharon Sayler, trazem algumas dicas importantes para usar o corpo ao seu favor. Confira:

Fale com calma

Para a autora Sharon Sayler, sua voz é importante para transmitir poder. É importante que você se comunique com clareza, mantenha um ritmo tranquilo e abaixe o queixo suavemente ao final de cada frase. Respirar calmamente entre as frases também ajuda.

Imagine um “terceiro olho”

Ao encarar seu chefe ou cliente em uma reunião de negócios, fixe seu olhar no meio das sobrancelhas dele, como se estivesse vendo um “terceiro olho” ali. O livro de Allan e Barbara Pease aponta que isso deixará o clima mais sério e essa técnica também pode ser usada para calar pessoas chatas. Também mantenha contato visual por mais tempo que o habitual.

Experimente Grátis a Eventials com Todas as suas Funcionalidades Disponíveis – Clique Aqui

Pisque menos

Já percebeu que piscamos mais quando estamos em uma situação estressante? Agora que você tem conhecimento disso, reduza o movimento de suas pálpebras em uma conversa importante. Isso irá transparecer segurança e autoridade.

Mãos para trás

Quando você entrelaça as mãos nas costas, por exemplo, transmite superioridade e poder. Dessa forma expõe seu estômago, coração, pescoço e virilha – consideradas partes vulneráveis do corpo – em um ato de audácia e, segundo o livro A linguagem corporal no trabalho, esse ato resulta em uma aura de autossuficiência e confiança.

Cuidado dobrado com o aperto de mão 

Segundo o livro A linguagem corporal no trabalho, se você fica com a palma da mão virada para cima durante o cumprimento, espera que a outra pessoa assuma o controle, já quem fica com a palma para baixo é visto como o dominante. Um truque também ensinado pelos autores é estender a mão direita e depois colocar a esquerda sobre a mão da outra pessoa.

Cadeira mais alta

Em uma reunião, escolha a cadeira mais alta da sala. A altura dela pode reduzir ou aumentar o status de uma pessoa. Se você deseja demonstrar autoridade, prefira uma poltrona com espaldar alto.

Esperamos que com essas dicas você consiga fechar bons negócios e se sinta mais confiante em sua carreira! 😉

Como engajar colaboradores em treinamentos corporativos

Utilize o Creative Commons para as mídias da sua apresentação

Preparar uma apresentação de qualidade exige esforço e empenho. Muitas vezes não se tem o domínio da estética para desenvolver as imagens ou elementos gráficos. Por causa disso recorremos ao que já existe pronto na internet. O problema é que, mesmo sem querer, utilizamos materiais registrados e quebramos o direto autoral das peças. Na maior parte dos casos essas atitudes não geram consequências, mas, legalmente, estamos em desacordo e podemos enfrentar problemas por isso. 

Uma boa forma de evitar o incômodo é buscar conteúdo de mídia com as licenças Creative Commons. Garantindo assim de estar utilizando um material em concordância com o criador original e desenvolvendo seu webinar dentro dos limites legais. Esse tipo de licença tem o propósito de fornecer bens comuns em formato digital. Facilitando a cópia, distribuição e edição dos arquivos. 

 Por meio dessas licenças o criador da mídia pode deixar seu material disponível a um terceiro, com ou sem restrições. É o principio colaborativo que a internet nos permite vivenciar. 

 Tipos de Licenças – Creative Commons  

Atribuição 

Distribuir, editar ou criar obras derivadas mesmo que para fins comerciais contando que dê créditos pela obra original. 

Compartilhamento pela mesma licença (BY-SA)

Editar, adaptar ou criar obras derivadas mesmo que comercial, dando os devidos créditos ao autor e licenciar a obra sob os mesmos termos.

Não as obras derivadas (BY-ND)

Redistribuição, válido para fins comerciais e não comerciais desde que seja redistribuída sem alterações e completa com os créditos dados ao autor. 

Uso não comercial (BY-NC)

Remixar e adaptar referenciando o autor desde que não seja com fins comerciais. 

Uso não comercial – Compartilhamento pela mesma licença (BY-NC-SA)

Remixar e adaptar referenciando o autor desde que não seja com fins comerciais. As novas criações devem seguir os mesmos parâmetros. 

Uso não comercial – não as obras derivadas (BY-NC-ND)

Permite compartilhar desde que referenciando o autor e sem propósito comercial. 

Contando com ajuda dos materiais licenciados por Creative Commons você pode tornar suas apresentações e postagens totalmente legais e ainda divulgar o material dos outros. Como sugestão você pode acessar o photopin e fazer a pesquisa com imagens que cumpra esse critério. 

Criatividade S.A. – Dos bastidores ao sucesso da Pixar

Você já imaginou os bastidores de filmes como Procurando Nemo e Monstros S.A.? Propondo mostrar o processo de criação e como funciona a Pixar, Ed Catmull, presidente da Pixar e da Disney Animation Studios, escreveu o livro Criatividade S.A., ilustrado em um misto de guia empresarial e biografia. Ao longo da publicação é possível entender como suas histórias emocionais e evolventes conseguem cativar a todos, seja adulto ou criança.

A história é um exemplo de pioneirismo e conta o início e a evolução da animação 3D. Resultado de um sonho juvenil de Catmull: fazer o primeiro filme de animação computadorizada. Suas contribuições serviram para construir uma cultura única capaz de oportunizar aos outros a livre expressão de ideias e o trabalho colaborativo.

“Minha meta sempre havia sido criar na Pixar uma cultura que durasse mais do que seus fundadores – Steve, John Lasseter e eu”. – Ed Catmull

Através de uma linguagem agradável vamos descobrindo os erros e acertos de filmes como Toy Story, UP e Wall-e, que são verdadeiras lições empreendedoras. Além disso, o autor demonstra a importância do ambiente de criação, considerando o espaço como um facilitador para a colaboração e autoexpressão. Isto evidencia a busca pela construção de uma cultura sem medo, na qual as pessoas sintam-se capazes de colocar suas ideias sem receio das críticas.

Agende seu primeiro treinamento. Experimente a Eventials gratuitamente! – Clique Aqui

“Se você criar um a cultura sem medo (ou tão sem medo quanto permite a natureza humana), as pessoas irão hesitar muito menos em explorar novas áreas, identificando caminhos não mapeados e seguindo por eles.”– Ed Catmull

Outro diferencial retratado no livro é a dedicação e perfeccionismo de cada produção. Tudo é feito até estar bom, passando pelo chamado Banco de Cérebros. Acontecendo a cada dois ou três meses com a premissa de reunir pessoas apaixonadas e inteligentes, encarregadas de solucionar problemas e principalmente incentivar e garantir que sejam sinceras umas com as outras esquecendo cargos e hierarquias. Esse é um processo vital que todos os filmes da Pixar passam considerando o que funcionava e o que não: “[…] sua característica mais importante era a capacidade de analisar as pulsações  emocionais de um filme sem que qualquer dos seus membros ficasse emotivo ou caísse na defensiva”.

Além de  esclarecer a mecânica do estúdio, Criatividade S.A. traz lições aplicáveis que podem ajudar no dia a dia de qualquer empresa. Independentemente da sua área, a leitura é super recomendada. Brindando com os bastidores dessa grande empresa, trazendo curiosidade de todo processo e ainda como um extra algumas informações da vida de Steve Jobs, um dos membros fundadores do estúdio. Esse texto proporciona apenas uma leve ideia do que esperar, asseguramos que o tempo será bem investido.

Como engajar colaboradores em treinamentos corporativos

Prepare o seu webinar com Storytelling

A nossa jornada pelo Storytelling chega ao seu último capítulo. O objetivo dessa série foi apresentar e demonstrar as possibilidades da arte de contar histórias, trazendo dicas em prol de um webinar mais atrativo. A fim de reforçar tudo que foi apresentado traremos orientações básicas para facilitar a aplicação da jornada do herói. Com isso, independentemente do tema, você será capaz de transmitir conhecimentos, engajar sua audiência com naturalidade e facilitar a memorização dos seus materiais.

Caso tenha alguma dúvida confira os capítulos anteriores aqui:  12 e 3

Antes da começar sugerimos algumas abordagens possíveis:

  • Conte sua história mostrando a experiência pessoal enquanto transmite  o conteúdo. Ilustre com casos e situações e foque na veracidade.
  • Utilize exemplos de histórias ou fábulas passíveis de aproveitar uma lição ou algo equivalente.
  • Crie um personagem e o acompanhe na jornada. Por exemplo, uma estudante que gostaria de descobrir o que é storytelling enfrentando os desafios para tal.
  • Construa um diálogo entre os slides e a sua fala, humanizando a apresentação como um personagem com emoções atribuindo personalidade.

Ao usar a criatividade você encontra outras formas de envolver o público através da narrativa. Vejamos então como cada ponto da jornada pode ser utilizado, por exemplo, para montar uma apresentação de slides.

Experimente Grátis a Eventials com Todas as suas Funcionalidades Disponíveis – Clique Aqui

Mundo comum: 

Questione a audiência fazendo-a refletir sobre uma situação atual, uma provocação, algo não resolvido. Este é o momento para causar impacto e conquistar a atenção. Mostrar as coisas como realmente são.

Chamado à aventura:

Defina um problema, algo a ser resolvido. Uma nova abordagem ou perspectiva para uma situação atual.  

Recusa do chamado:

Antes de entrar no assunto mostre visões contrárias, motivos que poderiam ir contra as suas defesas. Assim no decorrer da narrativa poderá desconstruir essas barreiras.

Encontro com o mentor:

Autores, teorias e materiais que irão apoiar e dar o embasamento para sua apresentação. É importante ficar bem claro sua linha de pensamento, mostrar aqueles em quem você acredita.

Travessia do primeiro limiar:

Assunto propriamente dito, encerre a introdução e vá ao foco do problema. De maneira sucinta, mostre seu objeto de desejo.

Testes, aliados, inimigos: 

Traga exemplos, demonstre as variáveis do problema, como aplicar ou usar sua solução. Um bom momento para demonstrar o que os concorrentes estão fazendo.

Aproximação da caverna:

O que precede o momento chave, quando todos os esforços irão convergir. Crie a tensão ou expectativa para um revelação ou contribuição significativa para quem lhe acompanha.  Momento em que a teoria e prática devem convergir.

Provação: 

Este é o clímax, momento de ressaltar seu objeto de desejo, aquilo que você defendeu desde o princípio. Aqui os principais argumentos devem ficar bem claros, se necessário traga uma visão geral de tudo.

Recompensa:

Reforce o valor do que você apresentou para o expectador.  

Caminho de volta:

Abra espaço para questionamentos ou preveja e responda o tipo de pergunta possível.

Como gamificação e webinars podem ajudar no processo de aprendizagem?