5 filmes que todo empreendedor deve assistir

Enfim é julho.

 As férias chegaram para muitos, principalmente para as crianças. Agora é a hora de descansar, de refletir sobre o primeiro semestre do ano, repor as energias, estar perto de quem gosta, se divertir e voltar com tudo para encarar o restante de 2015. Afinal, alguns planos já foram postos em prática e outros… Bem, outros continuam lá naquela listinha que você fez no último dia de 2014, como o desejo de ter a própria empresa. Se identificou com a situação?

 Saiba que nunca é tarde para correr atrás do que se quer. É preciso dedicação. Estudar muito, pesquisar o mercado, fazer um bom networking e, também, se inspirar! Por isso selecionamos 5 filmes para que você assista, fique motivado com as histórias dos personagens e coloque suas ideias em prática. Confira a lista:

 

Piratas do Vale do Silício

 Se você gosta de tecnologia e ainda não assistiu a esse filme, não sabe o que está perdendo! E se já o conhece, vale rever. O longa é um pouquinho antigo, de 1999, dura aproximadamente 1h30min e é ótimo para quem planeja estrar no ramo tecnológico. Ele retrata os bastidores da ascensão das rivais Microsoft e Apple, lideradas por Bill Gates – interpretado por Anthony Michael Hall – e Steve Jobs, vivido pelo ator Noah Wyle.

Por que ele é tão legal? Porque ele mostra o começo de duas gigantes da informática e como eram as brigas entre elas, além da importância das duas empresas para o setor. Assista ao trailer!

O Homem que mudou o jogo

Esse tinha tudo para ser mais um filme habitual sobre esportes mas, por sorte, não é. O Homem que mudou o jogo (Moneyball – no original), mostra que é possível vencer quando temos uma boa equipe. No longa, lançado em 2001, Brad Pitt interpreta Billy Beane, um treinador que levou o time Oakland Athletics ao destaque na liga nacional de beisebol. E como ele fez isso? Usando estatísticas! Foi dessa forma que ele selecionou os melhores jogadores para vencer. O filme mostra  a importância da criatividade, da inovação, quando não está em um bom momento financeiramente falando. Assista ao trailer!

A Rede Social

Já passou por sua cabeça como o Facebook foi criado? A Rede Social irá responder a esse questionamento. O filme foi lançado há cinco anos e contou com Justin Timberlake, Andrew Garfield e Jesse Eisenberg no elenco. Não podemos negar a importância dessa rede na atualidade, logo, é preciso assistir ao longa sim! Ele traz a vida e Mark Zuckerberg desde a universidade, quando criou o Facebook, até as relações com seus sócios, como o brasileiro Eduardo Severin e o primeiro presidente da empresa, Sean Parker. Assista ao trailer!

Agende seu primeiro treinamento. Experimente a Eventials gratuitamente! – Clique Aqui

O Discurso do Rei

 Se Colin Firth ganhou um Oscar pelo filme, acredite, foi merecido. Em O Discurso do Rei ele dá vida a George, um personagem que é gago desde os quatro anos de idade, faz parte da realeza britânica e precisa fazer discursos. Depois de tanto procurar por métodos, esses ineficazes, George desanimou. Até a esposa Elizabeth (Helena Bonham Carter), o levar a um novo terapeuta de fala, Lionel, que vira seu amigo. O resultado? George aumenta cada vez mais a autoconfiança para assumir a coroa após o irmão abdicar. Assista ao trailer!

Também indicamos o livro. 😉

 Invictus

Mais um filme que mostra como uma equipe unida é capaz de vencer. No longa, Nelson Mandela, interpretado por Morgan Freeman, sabia que a África do Sul continuava um país economicamente dividido devido ao Apartheid. Com a Copa do Mundo de Rugby realizada ali pela primeira vez, ele usa o esporte para criar um sentimento de união entre toda a população. Ao se reunir com François Pienaar – Matt Damon – o capital da equipe sul-africana, ele incentiva o time a ser o campeão. Assista ao trailer!

 

Legal essa lista, não é mesmo? Assista aos filmes e se inspire! Coloque em prática seu sonho e vire um empreendedor. E, se você também quer dar um gás na leitura nessas férias, confira a nossa postagem com 7 livros para alavancar sua vida profissional.

Como gamificação e webinars podem ajudar no processo de aprendizagem?

Por dentro da Economia Criativa

Conseguir uma renda extra é o desejo de muitos. E cada vez mais novas ideias surgem para aumentar os lucros: desde o sacolé que virou gourmet, ao brechó que só vende roupas de marca e aos aplicativos, blogs sobre variados assuntos e vídeos engraçados ou apenas informativos. Também é preciso lembrar dos aluguéis de quarto, casa, carro e até de marido… A criatividade não tem limites quando se trata de ganhar um dinheirinho e ter sucesso trabalhando com o que mais gosta.

Segundo o artigo publicado no site do Sebrae, Economia Criativa nada mais é do que um termo designado para modelos de negócio que nascem em atividades, produtos ou serviços desenvolvidos a partir do conhecimento e da criatividade de quem deseja gerar trabalho e renda. Ela foca no potencial individual ou coletivo para produzir bens e serviços criativos com valor econômico, além de contribuir com o desenvolvimento social.

O conceito deriva de “indústrias criativas”, termo que apareceu em um discurso proferido pelo Primeiro-Ministro da Austrália, há 19 anos, que defendia a importância de aproveitar oportunidades geradas pela globalização para contribuir no desenvolvimento do país.

Ao agregar traços e conceitos variados este novo tipo de economia surge, na maioria das vezes, em áreas como design, moda, cultura, artesanato e no meio tecnológico com a criação de aplicativos, softwares, jogos e produção de conteúdo. Ela reconhece a importância da originalidade e irreverência, assim como a experiência dos processos colaborativos.

Para John Howkings, autor do livro Economia Criativa: Como ganhar dinheiro com ideias criativas, essa forma diferenciada de lucrar estaria ligada a novas necessidades, já que nossos desejos pessoais sempre mudam, assim como o sentimento de realização e nossos relacionamentos. Essa transformação resulta em mudanças na economia também e o foco passa de produtos para serviços, commodities para experiências e de preços fixos para descontos, até chegar ao gratuito.

O pensamento do escritor nos leva a refletir sobre nossa realidade atual. Nos Estados Unidos, depois da crise de 2008, várias empresas criativas surgiram. O AirBnB, aplicativo que  surgiu em 2009 e conecta pessoas que querem viajar para outras cidades e precisam de um cômodo para ficar, é um exemplo disso. Em pouco tempo a plataforma estava valendo mais que qualquer rede de hotéis. Ou seja, é possível sim sair da crise usando a criatividade, por isso a importância da Economia Criativa.

Mas e você, que está procurando ter uma boa ideia, aquela capaz de aliviar suas despesas e lhe proporcionar bem-estar, o que deve fazer para que seu negócio saia do papel? O especialista citou três princípios:

1 – Criatividade e imaginação não são características especiais. Todos nascem com elas;

2 – É preciso ter liberdade para pensar, explorar, se expressar e descobrir;

3 – Liberdade precisa ter acesso ao mercado. 

O autor também ressalta a importância de estudar para se ter novas ideias. Portanto, pesquise, corra atrás, anote tudo o que for necessário para começar e coloque suas ideias em prática! Aposte em um negócio novo, criativo para lucrar mais e ter sucesso. Motivos não faltam, ainda mais agora.

Como usar webinars em uma estratégia de Growth Hacking

Use a linguagem corporal para ter sucesso na profissão

Já sabemos que não existe nenhuma fórmula pronta para obter sucesso na vida profissional. Estudar muito, se dedicar ao máximo, fazer bons contatos e estar sempre atualizado é essencial para se destacar, assim como manter uma boa postura corporal. Sim, isso mesmo! Seu corpo também pode ajudar. No mundo corporativo as entrelinhas têm muito valor e, quando as palavras se tornam aliadas da linguagem corporal, a chance de fechar negócio aumenta.

Os livros A linguagem corporal no trabalho, escrito por Allan e Barbara Pease e Seu corpo fala no trabalho, de Sharon Sayler, trazem algumas dicas importantes para usar o corpo ao seu favor. Confira:

Fale com calma

Para a autora Sharon Sayler, sua voz é importante para transmitir poder. É importante que você se comunique com clareza, mantenha um ritmo tranquilo e abaixe o queixo suavemente ao final de cada frase. Respirar calmamente entre as frases também ajuda.

Imagine um “terceiro olho”

Ao encarar seu chefe ou cliente em uma reunião de negócios, fixe seu olhar no meio das sobrancelhas dele, como se estivesse vendo um “terceiro olho” ali. O livro de Allan e Barbara Pease aponta que isso deixará o clima mais sério e essa técnica também pode ser usada para calar pessoas chatas. Também mantenha contato visual por mais tempo que o habitual.

Experimente Grátis a Eventials com Todas as suas Funcionalidades Disponíveis – Clique Aqui

Pisque menos

Já percebeu que piscamos mais quando estamos em uma situação estressante? Agora que você tem conhecimento disso, reduza o movimento de suas pálpebras em uma conversa importante. Isso irá transparecer segurança e autoridade.

Mãos para trás

Quando você entrelaça as mãos nas costas, por exemplo, transmite superioridade e poder. Dessa forma expõe seu estômago, coração, pescoço e virilha – consideradas partes vulneráveis do corpo – em um ato de audácia e, segundo o livro A linguagem corporal no trabalho, esse ato resulta em uma aura de autossuficiência e confiança.

Cuidado dobrado com o aperto de mão 

Segundo o livro A linguagem corporal no trabalho, se você fica com a palma da mão virada para cima durante o cumprimento, espera que a outra pessoa assuma o controle, já quem fica com a palma para baixo é visto como o dominante. Um truque também ensinado pelos autores é estender a mão direita e depois colocar a esquerda sobre a mão da outra pessoa.

Cadeira mais alta

Em uma reunião, escolha a cadeira mais alta da sala. A altura dela pode reduzir ou aumentar o status de uma pessoa. Se você deseja demonstrar autoridade, prefira uma poltrona com espaldar alto.

Esperamos que com essas dicas você consiga fechar bons negócios e se sinta mais confiante em sua carreira! 😉

Como engajar colaboradores em treinamentos corporativos

Como escrever bem em 5 passos

Você pode até não trabalhar com jornalismo, publicidade ou outras profissões que envolvam comunicação, mas com certeza precisa escrever e-mails para chefes e clientes ou conversar com eles pelas redes sociais. Logo, independente do seu cargo, escrever é importante e, escrever bem é imprescindível para se comunicar com eficiência.

Tendo experiência ou não com a escrita, não é fácil encarar uma página em branco de um editor de texto, por exemplo, e digitar de imediato o que você precisa. É preciso tempo, entre outros fatores, para colocar as ideias em uma ordem que o leitor consiga compreender com facilidade o que você deseja comunicar. Mas, a vida moderna exige rapidez e é por isso que muitos textos corporativos são infestados por problemas estruturais e erros gramaticais; fora as redundâncias, jargões, ambiguidades e clichês, o que prejudica muito a leitura, causando dúvidas desnecessárias e interpretações errôneas. Interpretações essas que podem gerar conflitos entre colegas de trabalho e, até mesmo, erros operacionais.

Por sorte, algumas dicas simples podem auxiliar na melhora da redação. Confira 5 delas:

Tenha sempre um livro por perto

Sim, quando falam que para escrever é preciso ler, não estão brincando. Essa é uma grande verdade! Adote um exemplar que seja de seu gênero preferido: ficção científica, romance, suspense… Vale tudo! Mas é necessário que você leia – ao menos – algumas páginas por dia. Faça disso um hábito! Por que você pode (e deve) ler ficção? A Revista Exame aponta que esse tipo de literatura aumentará a sua criatividade e lhe proporcionará um repertório gramatical maior.

Revise sempre

Provavelmente você envia e recebe muitos e-mails em um dia de trabalho. Já reparou na quantidade de informações que não são revisadas por causa da falta de tempo e da pressão para responder o quanto antes? Separe alguns segundos, passe o olho pelo texto e perceba se há algum erro de digitação e se a sua ideia ficou clara. Releia o que escreveu e coloque-se no lugar de quem está recebendo. Tem alguma dúvida? Peça para algum colega ou familiar revisar. 

Fuja do corretor ortográfico

Deixe de ser um refém do corretor ortográfico! Ele pode até corrigir uma palavra que esteja escrita de uma forma errada, mas você não saberá porque ele a apontou como um erro, e isso gera ainda mais insegurança. Substitua essa ferramenta por bons livros de gramática e um dicionário atualizado com o novo acordo ortográfico. 

Estude o que você não sabe

Não ignore suas dúvidas. Não sabe se determinada frase tem crase? Pesquise mais sobre o assunto! Trocar por outra palavra ou expressão não lhe ajudará a sanar essa dificuldade. Por isso é importante ter por perto um dicionário e uma boa gramática. 

 

Escreva o quanto puder

Sempre que tiver uma oportunidade para escrever, faça isso! E-mails, bilhetes, recados, cartas, poemas, contos… Só assim você vai colocar em prática seu conhecimento e irá aperfeiçoando sua escrita. É importante treinar! Começar um blog é uma ótima chance de praticar. Além disso, você poderá acompanhar a melhoria de sua escrita ao comparar os primeiros e últimos posts publicados.

O que o branding tem a ver com sua apresentação

Em algum momento, navegando pela rede ou estudando áreas como design, marketing e administração você pode ter visto o termo branding e ter se perguntado sobre o que ele significa. O pesquisador e administrador José Roberto Martins nos auxilia a definí-lo explicando que branding são as ações relacionadas a administração das marcas, ultrapassando a natureza econômica e incluindo-se na cultura ao influenciar a vida das pessoas.

Essa inclusão se dá pelo sentimento do consumidor que o ajuda a tomar atitudes e é nesse campo que as marcas querem atuar; procurando atingir a simpatia e construir uma relação envolvente. Por isso, o branding precisa ser reforçado não somente pelo visual, mas pela experiência com o produto e serviço. Replicado na estética e na semântica o propósito; sempre atento ao julgamento do consumidor.

Diferencie a marca da sua empresa das demais

O caminho para fortalecer a marca pode variar. Comece certificando-se de concentrar esforços em desenvolver a diferenciação, independetemente do que se está entregando. Afinal, não ser apenas mais um no mercado é o que torna certas marcas tão especiais, graças ao êxito em transmitir seu significado.

Faça webinars e atraia leads mais qualificados! Experimente a Eventials gratuitamente! – Clique Aqui

Considere que a semelhança acaba não demonstrando valor. Deste modo, a diferenciação é tão importante e pode estar simplesmente na forma que se comunica com o cliente ao invés do que se entrega efetivamente.

Assim, procurar desenvolver soluções criativas para o seu negócio pode ser a melhor forma de crescimento. Obviamente um produto ou serviço inédito conseguirá chamar mais atenção, porém, em meio a isso, opte em tornar a forma mais atraente do que a própria função.

Cuide do seu branding pessoal

Caso não esteja em uma empresa, não tenha um produto ou algo à venda o branding ainda pode ser aplicado em você mesmo. Parece um conceito estranho, tratar-se como marca, mas a partir do momento que você necessita se divulgar, seja para conquistar um trabalho ou conquistar a audiência em um webinar, executa ações de fortalecimento, alavancando as ações de branding.

“Independentemente da idade, independentemente do cargo, independetemente do negócio em que estamos envolvidos, todos nós precisamos entender a importância do branding. Nós somos os CEOs de nossas próprias empresas: Eu S.A.. Para estarmos envolvidos nos negócios atuais, a nossa tarefa mais importante é ser o diretor de marketing da marca chamada você.” Tom Peters – Guru de Administração

Analise seus slides, apresentação, materiais disponibilizados, o contato com a audiência, a identidade visual e a comunicação em geral. Tudo deve passar uma informação coesa e coerente, associada ao significado almejado para sua marca pessoal.

Como aplicar webinars na estratégia de Inbound Marketing?

Utilize o Creative Commons para as mídias da sua apresentação

Preparar uma apresentação de qualidade exige esforço e empenho. Muitas vezes não se tem o domínio da estética para desenvolver as imagens ou elementos gráficos. Por causa disso recorremos ao que já existe pronto na internet. O problema é que, mesmo sem querer, utilizamos materiais registrados e quebramos o direto autoral das peças. Na maior parte dos casos essas atitudes não geram consequências, mas, legalmente, estamos em desacordo e podemos enfrentar problemas por isso. 

Uma boa forma de evitar o incômodo é buscar conteúdo de mídia com as licenças Creative Commons. Garantindo assim de estar utilizando um material em concordância com o criador original e desenvolvendo seu webinar dentro dos limites legais. Esse tipo de licença tem o propósito de fornecer bens comuns em formato digital. Facilitando a cópia, distribuição e edição dos arquivos. 

 Por meio dessas licenças o criador da mídia pode deixar seu material disponível a um terceiro, com ou sem restrições. É o principio colaborativo que a internet nos permite vivenciar. 

 Tipos de Licenças – Creative Commons  

Atribuição 

Distribuir, editar ou criar obras derivadas mesmo que para fins comerciais contando que dê créditos pela obra original. 

Compartilhamento pela mesma licença (BY-SA)

Editar, adaptar ou criar obras derivadas mesmo que comercial, dando os devidos créditos ao autor e licenciar a obra sob os mesmos termos.

Não as obras derivadas (BY-ND)

Redistribuição, válido para fins comerciais e não comerciais desde que seja redistribuída sem alterações e completa com os créditos dados ao autor. 

Uso não comercial (BY-NC)

Remixar e adaptar referenciando o autor desde que não seja com fins comerciais. 

Uso não comercial – Compartilhamento pela mesma licença (BY-NC-SA)

Remixar e adaptar referenciando o autor desde que não seja com fins comerciais. As novas criações devem seguir os mesmos parâmetros. 

Uso não comercial – não as obras derivadas (BY-NC-ND)

Permite compartilhar desde que referenciando o autor e sem propósito comercial. 

Contando com ajuda dos materiais licenciados por Creative Commons você pode tornar suas apresentações e postagens totalmente legais e ainda divulgar o material dos outros. Como sugestão você pode acessar o photopin e fazer a pesquisa com imagens que cumpra esse critério. 

Saiba por que conhecer o público-alvo é importante

A produção de um webinar passa por algumas etapas até estar disponível. Inicialmente você analisa o conteúdo, divide nos slides, define o que irá falar, ensaia e pesquisa eventuais dúvidas dos espectadores. Contudo, desconsiderar a pesquisa de público-alvo é uma atitude comum e pode prejudicar todas as outras partes do processo. Afinal, como é possível preparar uma apresentação se você não sabe quem lhe ouve?
Imagine a dificuldade de ser compreendido ao falar em português para chineses ou, ainda, fazer uma apresentação para crianças sobre cálculo avançado. Obviamente são exemplos exagerados, porém, em menor escala, é o que acontece quando você desconsidera a platéia na hora da produção e execução de um webinar. Logo, se você quer aumentar sua taxa de conversão e engajamento, busque obter o mínimo de informações para apoiar seu planejamento.
Através de ferramentas para pesquisas e análises é possível conhecer qual é o perfil do seu público e atingir melhores resultados. Às vezes você acredita que sua apresentação é focada para especialistas, mas, efetivamente, está direcionada para iniciantes. Por esse motivo, mesmo deixando passar a pesquisa prévia, procure obter um feedback daqueles que consomem seu material. Ao conhecer quem lhe acompanha você será capaz de refinar e aprimorar seu webinar.

Como posso identificar meu público-alvo?

Comece listando as informações que você precisa ou quer descobrir e as transcreva em perguntas. Pense em questões que abordem estilo de vida, escolaridade e renda para construir um bom panorama. Aprofunde-se o quanto for possível; para isso considere a relevância das informações para não perder a objetividade.
Após a elaboração você pode buscar algumas formas para obter as respostas. Caso elabore de 10 a 15 questões, cuidando para não tornar muito extenso, utilizar os formulários do Google pode ser um bom método. Em seguida, divulge através das redes sociais, direcionando para os interessados no material do seu webinar.
Outra opção é ter um site próprio com esses questionários ou então optar por uma abordagem mais pessoal e trocar e-mails com alguns interessados. Sempre considerando que o usuário é preguiçoso, pense quantas vezes você deixou de acessar um conteúdo apenas por ter que fazer um cadastro. Então facilite ao máximo qualquer processo escolhido.
Uma estratégia para estimular a participação na pesquisa é desenvolver uma prévia do webinar, esse que ficará disponível para aqueles que lhe ajudarem a entender sua audiência. Na Eventials isso é fácil, sendo que você consegue fazer transmissões privadas, notificar e controlar os participantes. Assim abre a possibilidade de oferecer um conteúdo exclusivo, liberando o acesso para quem lhe forneceu algum tipo de contribuição.
Apesar do trabalho extra, o resultado será um material de maior qualidade. E, sabendo exatamente quem escuta sua voz, sua chances de sucesso definitivamente irão aumentar.

Garanta os acertos e evite os erros em seu webinar

Preparar um bom webinar exige planejamento e dedicação. Todos os detalhes devem estar alinhados para possibilitar ao  público a melhor experiência. No momento da apresentação fique atento em cada detalhe, seu comportamento será interpretado por quem lhe assistir.

Planeje-se antes do webinar

Por isso não deixe as coisas acontecerem no improviso. Ensaie, treine e pesquise curiosidades sobre o tema, assim você estará preparado para responder questões daqueles que já entendem um pouco do assunto. Indo além, foque na qualidade das informações ao invés de sobrecarregar os interessados com quantidade de conteúdo. É dessa forma que você mostra o seu diferencial.

Independentemente de preparo o inesperado pode acontecer. Certifique-se de diminuir as possibilidades. Ninguém gostaria que o celular tocasse no meio de um webinar e, atender, não pode ser uma das hipóteses. Afinal ninguém gostaria de ser lembrado por uma atitude grosseira, não é mesmo?

Faça webinars e atraia leads mais qualificados! Experimente a Eventials gratuitamente! – Clique Aqui

Faça um ensaio antes

Uma vez superada a fase de preparação não deixe que o medo, a insegurança ou a ansiedade lhe dominem. Por isso é importante ensaiar. Para se sair melhor, peça a ajuda de quem você conhece e apresente o material. Com o feedback será mais fácil visualizar o que precisa ser melhorado. Deste modo, no momento decisivo o autocontrole estará presente.

Cuidado com a linguagem

Lembre-se que por mais descolado que seu público seja, utilizar palavrões no webinar não contribuirá com uma boa imagem e deixará você vulnerável a julgamentos. Também tenha cuidado em parecer convencido, dificilmente você saberá quem são as pessoas que lhe acompanham.Tenha atenção a esses detalhes e não deixe um ponto negativo diminuir o seu potencial.

Quando for para valer, mantenha a calma e o equilíbrio com pensamentos positivos. Mesmo que algo não saia como o planejado, você será capaz de resolver da melhor forma. Procure sempre ampliar seus acertos e minimizar seus erros aumentando as chances de conquistar o seu expectador.

Como usar webinars em uma estratégia de Growth Hacking 

Criatividade S.A. – Dos bastidores ao sucesso da Pixar

Você já imaginou os bastidores de filmes como Procurando Nemo e Monstros S.A.? Propondo mostrar o processo de criação e como funciona a Pixar, Ed Catmull, presidente da Pixar e da Disney Animation Studios, escreveu o livro Criatividade S.A., ilustrado em um misto de guia empresarial e biografia. Ao longo da publicação é possível entender como suas histórias emocionais e evolventes conseguem cativar a todos, seja adulto ou criança.

A história é um exemplo de pioneirismo e conta o início e a evolução da animação 3D. Resultado de um sonho juvenil de Catmull: fazer o primeiro filme de animação computadorizada. Suas contribuições serviram para construir uma cultura única capaz de oportunizar aos outros a livre expressão de ideias e o trabalho colaborativo.

“Minha meta sempre havia sido criar na Pixar uma cultura que durasse mais do que seus fundadores – Steve, John Lasseter e eu”. – Ed Catmull

Através de uma linguagem agradável vamos descobrindo os erros e acertos de filmes como Toy Story, UP e Wall-e, que são verdadeiras lições empreendedoras. Além disso, o autor demonstra a importância do ambiente de criação, considerando o espaço como um facilitador para a colaboração e autoexpressão. Isto evidencia a busca pela construção de uma cultura sem medo, na qual as pessoas sintam-se capazes de colocar suas ideias sem receio das críticas.

Agende seu primeiro treinamento. Experimente a Eventials gratuitamente! – Clique Aqui

“Se você criar um a cultura sem medo (ou tão sem medo quanto permite a natureza humana), as pessoas irão hesitar muito menos em explorar novas áreas, identificando caminhos não mapeados e seguindo por eles.”– Ed Catmull

Outro diferencial retratado no livro é a dedicação e perfeccionismo de cada produção. Tudo é feito até estar bom, passando pelo chamado Banco de Cérebros. Acontecendo a cada dois ou três meses com a premissa de reunir pessoas apaixonadas e inteligentes, encarregadas de solucionar problemas e principalmente incentivar e garantir que sejam sinceras umas com as outras esquecendo cargos e hierarquias. Esse é um processo vital que todos os filmes da Pixar passam considerando o que funcionava e o que não: “[…] sua característica mais importante era a capacidade de analisar as pulsações  emocionais de um filme sem que qualquer dos seus membros ficasse emotivo ou caísse na defensiva”.

Além de  esclarecer a mecânica do estúdio, Criatividade S.A. traz lições aplicáveis que podem ajudar no dia a dia de qualquer empresa. Independentemente da sua área, a leitura é super recomendada. Brindando com os bastidores dessa grande empresa, trazendo curiosidade de todo processo e ainda como um extra algumas informações da vida de Steve Jobs, um dos membros fundadores do estúdio. Esse texto proporciona apenas uma leve ideia do que esperar, asseguramos que o tempo será bem investido.

Como engajar colaboradores em treinamentos corporativos

Prepare o seu webinar com Storytelling

A nossa jornada pelo Storytelling chega ao seu último capítulo. O objetivo dessa série foi apresentar e demonstrar as possibilidades da arte de contar histórias, trazendo dicas em prol de um webinar mais atrativo. A fim de reforçar tudo que foi apresentado traremos orientações básicas para facilitar a aplicação da jornada do herói. Com isso, independentemente do tema, você será capaz de transmitir conhecimentos, engajar sua audiência com naturalidade e facilitar a memorização dos seus materiais.

Caso tenha alguma dúvida confira os capítulos anteriores aqui:  12 e 3

Antes da começar sugerimos algumas abordagens possíveis:

  • Conte sua história mostrando a experiência pessoal enquanto transmite  o conteúdo. Ilustre com casos e situações e foque na veracidade.
  • Utilize exemplos de histórias ou fábulas passíveis de aproveitar uma lição ou algo equivalente.
  • Crie um personagem e o acompanhe na jornada. Por exemplo, uma estudante que gostaria de descobrir o que é storytelling enfrentando os desafios para tal.
  • Construa um diálogo entre os slides e a sua fala, humanizando a apresentação como um personagem com emoções atribuindo personalidade.

Ao usar a criatividade você encontra outras formas de envolver o público através da narrativa. Vejamos então como cada ponto da jornada pode ser utilizado, por exemplo, para montar uma apresentação de slides.

Experimente Grátis a Eventials com Todas as suas Funcionalidades Disponíveis – Clique Aqui

Mundo comum: 

Questione a audiência fazendo-a refletir sobre uma situação atual, uma provocação, algo não resolvido. Este é o momento para causar impacto e conquistar a atenção. Mostrar as coisas como realmente são.

Chamado à aventura:

Defina um problema, algo a ser resolvido. Uma nova abordagem ou perspectiva para uma situação atual.  

Recusa do chamado:

Antes de entrar no assunto mostre visões contrárias, motivos que poderiam ir contra as suas defesas. Assim no decorrer da narrativa poderá desconstruir essas barreiras.

Encontro com o mentor:

Autores, teorias e materiais que irão apoiar e dar o embasamento para sua apresentação. É importante ficar bem claro sua linha de pensamento, mostrar aqueles em quem você acredita.

Travessia do primeiro limiar:

Assunto propriamente dito, encerre a introdução e vá ao foco do problema. De maneira sucinta, mostre seu objeto de desejo.

Testes, aliados, inimigos: 

Traga exemplos, demonstre as variáveis do problema, como aplicar ou usar sua solução. Um bom momento para demonstrar o que os concorrentes estão fazendo.

Aproximação da caverna:

O que precede o momento chave, quando todos os esforços irão convergir. Crie a tensão ou expectativa para um revelação ou contribuição significativa para quem lhe acompanha.  Momento em que a teoria e prática devem convergir.

Provação: 

Este é o clímax, momento de ressaltar seu objeto de desejo, aquilo que você defendeu desde o princípio. Aqui os principais argumentos devem ficar bem claros, se necessário traga uma visão geral de tudo.

Recompensa:

Reforce o valor do que você apresentou para o expectador.  

Caminho de volta:

Abra espaço para questionamentos ou preveja e responda o tipo de pergunta possível.

Como gamificação e webinars podem ajudar no processo de aprendizagem?