Prepare o seu webinar com Storytelling

A nossa jornada pelo Storytelling chega ao seu último capítulo. O objetivo dessa série foi apresentar e demonstrar as possibilidades da arte de contar histórias, trazendo dicas em prol de um webinar mais atrativo. A fim de reforçar tudo que foi apresentado traremos orientações básicas para facilitar a aplicação da jornada do herói. Com isso, independentemente do tema, você será capaz de transmitir conhecimentos, engajar sua audiência com naturalidade e facilitar a memorização dos seus materiais.

Caso tenha alguma dúvida confira os capítulos anteriores aqui:  12 e 3

Antes da começar sugerimos algumas abordagens possíveis:

  • Conte sua história mostrando a experiência pessoal enquanto transmite  o conteúdo. Ilustre com casos e situações e foque na veracidade.
  • Utilize exemplos de histórias ou fábulas passíveis de aproveitar uma lição ou algo equivalente.
  • Crie um personagem e o acompanhe na jornada. Por exemplo, uma estudante que gostaria de descobrir o que é storytelling enfrentando os desafios para tal.
  • Construa um diálogo entre os slides e a sua fala, humanizando a apresentação como um personagem com emoções atribuindo personalidade.

Ao usar a criatividade você encontra outras formas de envolver o público através da narrativa. Vejamos então como cada ponto da jornada pode ser utilizado, por exemplo, para montar uma apresentação de slides.

Experimente Grátis a Eventials com Todas as suas Funcionalidades Disponíveis – Clique Aqui

Mundo comum: 

Questione a audiência fazendo-a refletir sobre uma situação atual, uma provocação, algo não resolvido. Este é o momento para causar impacto e conquistar a atenção. Mostrar as coisas como realmente são.

Chamado à aventura:

Defina um problema, algo a ser resolvido. Uma nova abordagem ou perspectiva para uma situação atual.  

Recusa do chamado:

Antes de entrar no assunto mostre visões contrárias, motivos que poderiam ir contra as suas defesas. Assim no decorrer da narrativa poderá desconstruir essas barreiras.

Encontro com o mentor:

Autores, teorias e materiais que irão apoiar e dar o embasamento para sua apresentação. É importante ficar bem claro sua linha de pensamento, mostrar aqueles em quem você acredita.

Travessia do primeiro limiar:

Assunto propriamente dito, encerre a introdução e vá ao foco do problema. De maneira sucinta, mostre seu objeto de desejo.

Testes, aliados, inimigos: 

Traga exemplos, demonstre as variáveis do problema, como aplicar ou usar sua solução. Um bom momento para demonstrar o que os concorrentes estão fazendo.

Aproximação da caverna:

O que precede o momento chave, quando todos os esforços irão convergir. Crie a tensão ou expectativa para um revelação ou contribuição significativa para quem lhe acompanha.  Momento em que a teoria e prática devem convergir.

Provação: 

Este é o clímax, momento de ressaltar seu objeto de desejo, aquilo que você defendeu desde o princípio. Aqui os principais argumentos devem ficar bem claros, se necessário traga uma visão geral de tudo.

Recompensa:

Reforce o valor do que você apresentou para o expectador.  

Caminho de volta:

Abra espaço para questionamentos ou preveja e responda o tipo de pergunta possível.

Como gamificação e webinars podem ajudar no processo de aprendizagem?

5 dicas para criar vídeos interessantes

Querendo fazer bons vídeos e se destacar na web? O Youtuber Thomas Ridgewell, também conhecido como TomSka, tem mais de 3,5 milhões de inscritos em seu canal e ganha milhares de libras por mês com anúncios. Confira algumas dicas dele para quem também quer investir nesse segmento.

Aprenda com os erros dos outros:

Para fazer bons vídeos segundo TomSka é necessário assistir a muitos outros na internet. Dessa forma você vai saber o que faz sucesso e o que não faz na rede e contar com essa experiência na hora de produzir os seus.

Um, dois, três: cortando!

De acordo com o britânico os bons vídeos são aqueles que vão direto ao ponto e não enrolam os internautas. Portanto, foque no que é de fato importante e corte o que não é necessário.

Bom áudio faz diferença!

Para o Youtuber não importa qual é a câmera que você vai usar para fazer seus vídeos desde que ela tenha consiga captar o áudio com muita qualidade. Se o som do seu webinar for ruim, consequentemente você perderá seu público.

Experimente Grátis a Eventials com Todas as suas Funcionalidades Disponíveis – Clique Aqui

Use conteúdo próprio:

TomSka aponta que vale muito mais criar seus próprios conteúdos do que pegar na web. Por exemplo: se você vai usar uma música como fundo de seu webinar é melhor usar a que foi composta por um amigo do que a de uma banda conhecida. É preciso tomar cuidado com conteúdos que possam violar os direitos autorais.

Construa amizades!

Uma dica fundamental é você ter “um monte de pessoas falando a seu respeito” na internet e que você precisa fazer amizades com outros que estão criando vídeos e se expressando na rede. Em entrevista para a BBC Brasil ele afirma que tem muitos amigos no YouTube e que construir novas relações é fundamental para chegar ao topo.

E então, gostou das dicas? Coloque-as em prática! Crie suas apresentações em vídeo com a Eventials e compartilhe seu conhecimento com mais pessoas! Acesse nosso site e faça um teste gratuito: www.eventials.com.

Por que investir em Fast Training para capacitar seu time online

Descubra quais câmeras e microfones são indicados para fazer vídeos online

Investir na produção de bons vídeos é importante para criar webinars profissionais. Uma apresentação pode ser prejudicada se você não utilizar uma câmera que atenda as suas necessidades e as espectativas de quem te assiste. Uma boa imagem leva uma boa impressão ao seu público. Logo, procure utilizar os melhores equipamentos possíveis. Confira os três tipos de câmeras mais usados para captar vídeos:

Compacta

São simples e práticas de usar, além de serem pequenas. Os limites dessa linha são variados, tendo alguns modelos com recursos comparáveis a DSLR e outros bem inferiores. Os valores giram em torno de R$ 350 a mais de R$ 1.500. Essas câmeras são mais recomendadas para o cotidiano, pela simplicidade de uso e transporte. Durante a utilização é importante que ela esteja em uma base fixa e com uma ótima iluminação, pois esses são os pontos negativos desse modelo.

Superzoom (bridge)

Apresentam aspecto mais profissional e possuem configurações avançadas, permitindo ajustes manuais de abertura, velocidade e ISO. Mesmo assim, possuem algumas deficiências como o limite de abertura e lentes não-cambiáveis. Sua principal vantagem é o zoom potente e sua maior aproximação com as DSLR. Esse modelo pode ser uma boa opção de custo benefício, ainda mais se a intenção é utilizar para fazer webinars. Contudo, sempre observe se o valor dela está próximo de uma câmera profissional. Dependendo do caso, vale mais investir em uma DSLR.

DSLR

Elas são as mais indicadas para captura de imagem ou filmagens e têm a troca de lentes como diferencial, assim como a capacidade de ver a imagem captada pela lente e não em um display digital. Nelas você tem acesso a todas as configurações desejadas. Mas, o problema, é o seu tamanho e o preço elevado. 

Ao analisar a qualidade, marca e modelos você certamente encontrará o equipamento ideal. O mais importante é pesquisar levando em conta o que se encaixa no seu orçamento e considerando todas as vantagens e desvantagens. Se você precisa conectar a câmera diretamente no computador, verifique no manual da mesma se o modo webcam é suportado. Uma boa câmera pode ser crucial para seus vídeos e webinars ganharem o destaque desejado. 

Confira três microfones que podem facilitar a captação do áudio durante seu webinar:

Lapela

Uma das principais vantagens deste tipo de microfone é o seu tamanho e sua sensibilidade. Em pequenas distâncias ele capta o áudio com eficiência e o ruído do ambiente é reduzido. Normalmente o equipamento é usado próximo da camisa/blusa, por isso o nome “lapela”, e é indicado para situações que exigem pouca mobilidade.

O microfone é pequeno e eficiente, custa a partir de R$ 60 e é um bom aliado de quem faz webinars. 

Direcional Boom 

Diferentemente do Lapela, esse tipo de microfone capta o som apenas da direção em que é apontado. É muito recomendado para produções profissionais e capta o áudio com muita qualidade.

Ele pode ser usado com o auxílio de um suporte, mas quando manuseado – opção um pouco dificultosa –, consegue captar um som mais limpo e claro.

O equipamento custa a partir de R$ 300, preço que varia de acordo com a marca e com os acessórios que o acompanha. 

Cardióide de mesa

Ele segue a linha dos microfones mais tradicionais, aqueles usados em apresentações e eventos. Deixá-lo fixo sobre a mesa é uma boa opção quando se está fazendo um webinar.

Mesmo que o cardióide capte muito do som ambiente, a qualidade do áudio é boa, mas é importante que ele seja usado próximo de quem está falando.

O microfone custa a partir de R$ 50 e também é uma opção para quem quer profissionalizar as apresentações em vídeo. 

É importante considerar que a infinidade de modelos e categorias pode fazer com que um determinado microfone se sobressaia às suas necessidades. Portanto, analise e pesquise bem antes de comprar. Aprenda a usar o equipamento da melhor forma. Fale claramente e faça alguns testes. 

Um bom microfone pode ser aquele detalhe que faltava para garantir o sucesso dos seus vídeos.